E-mail: [email protected]   |   Telefone: (41) 99521-8611

Suporte 24/7

Twitter volta atrás e não forçará os usuários a usar seu algoritmo. O que você pode aprender com essa decisão?
23 de março de 2022

Depois de receber várias críticas de seus usuários, o Twitter decidiu voltar atrás e ouvir seu público. De acordo com a declaração da própria plataforma, o Twitter “colocou a linha do tempo de volta e removeu a experiência feita por meio de abas”, onde o usuário encontrava o feed algorítmico.

Desde 2016, o Twitter tenta criar um feed algorítmico e, em outubro de 2021, a empresa fez a maior mudança para atingir esse objetivo: criou um feed apenas com sugestões de tweets baseados no algoritmo, em vez do antigo — porém, ótimo — feed cronológico, que costumava nos mostrar os últimos tweets das pessoas que seguimos.

Top Tweets first or latest Tweets first? We’re making it easier to switch between the two timelines and know which one you’re scrolling.

Now testing with some of you on iOS: swipe between “Home” and “Latest” on the Home tab to choose which Tweets you see first. pic.twitter.com/LoyAN4cONu

— Twitter Support (@TwitterSupport) October 12, 2021

Como se pode imaginar, essa mudança não foi muito bem recebida pelos usuários. O feed algorítmico acabou preenchendo nossa timeline com tweets sobre o mesmo assunto, de pessoas que não necessariamente seguimos.

Durante a final do Big Brother Brasil, por exemplo, você só lia sobre a final do Big Brother Brasil. Tudo bem, isso pode ser legal se você é fã do Big Brother Brasil, mas o Twitter também serve para ficar por dentro de outros assuntos, não é?

Lições que você, como profissional de marketing, pode aprender com a decisão do Twitter

A maior lição que o Twitter deixou para os profissionais de marketing é a importância de ouvir seu público. Por mais que sua ideia seja boa e inovadora, talvez não seja exatamente o que seu cliente procura no momento, e não há problema em ser humilde e voltar atrás quando necessário. Afinal, seu cliente será quem usará seu produto ou serviço, por isso tem que fazer sentido para suas reais necessidades.

Parece bastante óbvio, certo? Mas nem sempre é isso que acontece. Vimos que o Twitter está tomando uma decisão importante com base no que o seu público disse, mas não é sempre assim que as plataformas procedem.

Recentemente, o TikTok lançou os vídeos de 10 minutos para competir com o YouTube, só que os criadores de conteúdo ficaram em dúvida sobre essa atualização. Ela não é negativa, mas acaba passando a impressão de que o TikTok está priorizando a sua competitividade no mercado, e não as necessidades e a experiência dos usuários.

E quais dicas de conteúdo os profissionais de marketing podem obter com isso?

O Twitter nos forneceu esse olhar centrado no cliente. Então nós, como profissionais de marketing, podemos nos inspirar e tentar aplicar um pouco desse conhecimento em nossa rotina.

Como usuária extremamente ativa do Twitter desde 2009, posso garantir três elementos principais:

Gostamos de ser ouvidos. Aliás, quem é que não gosta? Portanto, tente colocar seu cliente no centro de suas decisões e não tenha receio de dar um passo atrás se considerar que sua decisão não foi a melhor no momento.Desejamos interagir e conversar com as marcas. E isso acontece não só no Twitter, mas nas redes sociais em geral. Queremos ter a sensação do toque humano, não apenas ver anúncios aparecendo em todos os lugares.E, muito importante: no Twitter, gostamos de fazer coisas juntos. Pode parecer um pouco estranho, eu sei, mas em 2015 o seriado “Game of Thrones” foi o programa de TV mais falado no Twitter. Isso porque todo mundo queria não apenas assistir, mas falar sobre o tema com outras pessoas. Nós realmente amamos o senso de comunidade que o Twitter permite, e essa pode ser uma ótima maneira de tentar posicionar sua marca com sucesso nessa plataforma: iniciar ou entrar em uma conversa da qual seu público adoraria fazer parte.

Bem, estou animada para conhecer mais cases como esse, em que a empresa realmente coloca o cliente no centro de qualquer decisão. O Twitter é um grande estudo de caso sobre foco no cliente, mas estou bastante confiante de que teremos exemplos como esse com mais frequência. E esse é o caminho certo para nós: construir marcas ao lado do cliente, em uma via de mão dupla.

Se você gostou deste conteúdo, considere assinar nossa newsletter para receber ótimos artigos diretamente em sua caixa de entrada.

The post Twitter volta atrás e não forçará os usuários a usar seu algoritmo. O que você pode aprender com essa decisão? appeared first on Rock Content – BR.

Fonte do artigo:

Rock Content – BR

Leia o artigo original clicando no link abaixo:

Read More

Leia Também

Postagens relacionadas em nosso Blog sobre Design, SEO, Marketing e Tecnologia.